Labels

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Inteligencia Artifical



Inteligência artificial (IA) é a inteligência similar a humana exibida por mecanismos ou software. Também é um campo de estudo acadêmico. Os principais pesquisadores e livros didáticos definem o campo como "o estudo e projeto de agentes inteligentes", onde um agente inteligente é um sistema que percebe seu ambiente e toma atitudes que maximizam suas chances de sucesso. John McCarthy, quem cunhou o termo em 1955, a define como "a ciência e engenharia de produzir máquinas inteligentes".

É uma área de pesquisa da computação dedicada a buscar métodos ou dispositivos computacionais que possuam ou multipliquem a capacidade racional do ser humano de resolver problemas, pensar ou, de forma ampla, ser inteligente. Também pode ser definida como o ramo da ciência da computação que se ocupa do comportamento inteligente1 ou ainda, o estudo de como fazer os computadores realizarem coisas que, atualmente, os humanos fazem melhor.



O principal objetivo dos sistemas de IA (inteligência artificial), é executar funções que, caso um ser humano fosse executar, seriam consideradas inteligentes. É um conceito amplo, e que recebe tantas definições quanto damos significados diferentes à palavra Inteligência.

Podemos pensar em algumas características básicas desses sistemas, como a capacidade de raciocínio (aplicar regras lógicas a um conjunto de dados disponíveis para chegar a uma conclusão), aprendizagem (aprender com os erros e acertos de forma a no futuro agir de maneira mais eficaz), reconhecer padrões (tanto padrões visuais e sensoriais, como também padrões de comportamento) e inferência (capacidade de conseguir aplicar o raciocínio nas situações do nosso cotidiano)



Você já viu esse enredo em filmes de ficção científica como o Exterminador do Futuro e Matrix, no qual uma inteligência artificial ameaça a existência dos humanos. Porém, para o inventor e bilionário Elon Musk, esse é um temor real.

Falando em um simpósio de comemora o centenário do departamento aeroespacial do MIT (Massachusetts Institute of Technology), o fundador do PayPal e "Tony Stark da vida real" (por fundar companhias como a Tesla Motors e SpaceX) disse que é preciso ter muito cuidado com a inteligência artificial.

"Se eu tivesse que apontar qual é a maior ameaça à nossa existência, seria essa", afirmou. "Estou cada vez mais inclinado que deve haver alguma regulamentação, talvez em nível nacional ou internacional, só para garantir que não façamos algo muito estúpido".



O diabo somos nós

"Com a inteligência artificial você está invocando um demônio. Você conhece essas histórias em que há um cara com pentagrama e água benta e ele tem certeza que pode controlar o demônio? Não vai funcionar", compara.

"Então não vai haver um HAL 9000 indo para Marte?", pergunta o mediador se referindo à inteligência artificial do filme "2001 – Uma Odisseia no Espaço". "HAL 9000 seria fichinha. É muito mais complexo... Seria embaraçoso para ele, quase um cachorrinho", conclui.

Não é a primeira vez que Musk demonstra preocupação com o tema. Em uma entrevista em junho, ele disse que investiu numa empresa chamada Vicarious não para fazer dinheiro, mas para "ficar de olho no que acontece com a inteligência artificial". A companhia, basicamente, tenta recriar com computadores o funcionamento do cérebro humano.